Assinatura RSS

Arquivo do mês: dezembro 2013

50 nuncas em 365 dias

Publicado em

No ano de 2011 descobri um dos blogs que mais gostei na vida. Era o 365 nuncas! O blog consistia em expor todo dia algo que nunca havia sido feito pelas duas autoras. Essas meninas entravam no táxi e pediam para o taxista escolher entre duas opções de eventos para elas irem, distribuíam bombons pela rua, decoravam árvores, faziam festas na praia, conheciam bairros nunca explorados por elas, enterravam tesouros e descobriam toda uma gama de possibilidades para a vida!

Esse blog me fez muito bem e me fez pensar em muitas coisas diferentes que eu poderia e deveria fazer para tornar a vida mais divertida!

Há alguns dias, comecei a fazer uma lista de nuncas que havia feito neste ano, alguns por querer e outros sem querer. Na lista, havia uma parte triste e uma parte feliz. Eu nunca tinha tido a casa invadida e o computador furtado, mas não significava que a minha vida tinha ficado mais divertida por causa disso, por exemplo. No entanto, com o furto do meu computador, eu passei a sair muito mais, já que não tinha internet e como estava na época do festival de teatro, consegui assistir 34 peças diferentes e passei a entender melhor e adorar essa forma de arte. Ou seja, o nunca negativo, acabou virando um nunca positivo.

Claro que entre os nuncas, tem descobertas de coisas decepcionantes, a perda de pessoas queridas e alguns fracassos que ainda não aprenderam a virar triunfo. Nem tudo é legal na vida, não tem jeito. Então, da minha extensa lista de nuncas em 2013, decidi colocar apenas os que me divertiram mais e nisso arredondei para 50 para fazer um título bonitinho! Se alguém se interessar, a lista está abaixo.

1)      Dormir no deck de um navio ou simplesmente dormir num navio!

2)      Conhecer a linda Grécia

3)      Conhecer um vulcão (UM VULCÃO!) e nunca mais esquecer o barulho e o cheiro de enxofre dele!

4)      Começar um mestrado!

5)      Receber meus pais, tios e avós na França

6)      Conhecer Mônaco

7)      Subir num palco com uma banda que eu adoro! Vídeo aqui!

8)      Participar semanalmente de um programa de rádio para falar sobre urbanismo, mesmo com meu francês capenga!

9)      Fazer uma prova oral em francês

10)   Adotar uma gatinha

11)   Receber a visita de diversos outros gatinhos, inclusive de três filhotinhos trazidos pela mãe-gata

12)   Inventar uma fórmula de desembaçador de vidros

13)   Conhecer a Espanha com as amigas Bruna, Lívia e Silvinha

14)   Descobrir as horas e minutos exatos só de olhar para o céu

15)   Ir a um casamento grego

16)   Subir num poste (que na verdade tinha dentinhos para isso!) e fazer uma foto!

17)   Virar garçonete na França

18)   Pisar na Itália só para jantar e ir embora

19)   Me projetar como modelo de orelha e pescoço

20)   Conseguir dois reais emprestados para pagar o cartório graças ao facebook

21)   Ganhar a maquiagem de uma russa porque estava clara demais para ela

22)   Reciclar o lixo o ano inteiro

23)  Passar o chapéu pela platéia para arrecadar dinheiro para os cantores e receber bastante dinheiro!

24)   Doar sangue na França

25)   Participar de encontros CouchSurfers sem nunca ter feito Couchsurfing!

26)   Ter uma grande amiga do Chypre

27)   Ver e acompanhar pela primeira vez um grande movimento no Brasil

28)   Ir num jogo da Copa do Mundo de Rugby

29)   Participar de um seminário como ajudante e conhecer alguns figurões franceses

30)   Participar de uma festa medieval que as pessoas levam muito a sério

31)   Atravessar Paris de bicicleta

32)   Descobrir que os verdadeiros quadros de Bruegel que estudei quando era pequena estão em Avignon

33)   Se encantar pela arte do teatro e ver mais de uma peça por dia

34)   Ficar perdida na estrada com a bicicleta e só encontrar o caminho depois de seguir um avião

35)   Brincar na piscina dentro daquelas bolhas infláveis que foram projetadas para crianças!

36)   Estragar 3 bolos de cenoura num mesmo dia, mas acertar de vez em quando.

37)   Encontrar um caminho bucólico e delicioso como meu lugar secreto

38)   Pegar o bouquet da noiva

39)   Comer feijão com arroz no café da manhã

40)   Ganhar meus próprios patins e patinar no gelo com os colegas de sala ( já tinha feito isso com um chefe antes, nunca com colegas!)

41)   Andar na primeira classe de um avião, por uma feliz coincidência!

42)   Conhecer a livraria mais fofa da França!

43)   Receber meu amigo Airton na minha casa porque ele pegou o trem errado

44)   Conhecer um campo de lavanda

45)   Fazer um pique-nique no alto de uma montanha, na chuva

46)   Escrever para um deputado pedindo uma informação que poderá ser útil no meu trabalho acadêmico

47)   Cortar meu cabelo em escolas de cabeleireiro e adorar!

48)   Ganhar um presente do farmacêutico grego de tanto pedir a opinião dele

49)   Ganhar um carro de uma pessoa que não nos conhece

50)   Ter a certeza de que o Brasil é um dos países mais maravilhosos do mundo!

Deck

Gatos

posteDidi

girassois

“A ação perseverante do tempo sobre o homem faz com que este envelheça; por outro lado, se o homem atua com perseverança sobre o tempo, detém seu envelhecimento e permanece numa eterna juventude.” da Logosofia

Feliz 2014 com ótimos nuncas!!!

Última estatística do ano

Publicado em

Numa conversa com uma amiga desiludida, surgiu o seguinte diálogo:

– Não se preocupe, querida, 90% dos homens que traem, traem com uma pessoa muito mais feia e burra que a oficial. Isso acontece para eles se sentirem os maiorais de vez em quando.

– Sério que existe essa pesquisa?

– Sim, sério!

– De onde?

– Eu fiz essa pesquisa!

Brincadeiras à parte (mas é sério mesmo), querida galerinha, que em 2014 vocês vivam felicidades ímpares ou pares, mas sempre independentes e suficientes! O melhor da vida é não esperar nada de ninguém.

O processo de comprar menos e usar mais

Publicado em

Dizem que “ismo” faz lembrar doença. Marília Gabriela criticou que Malafaia usava o termo homossexualismo ao invés de homossexualidade. Eu fiquei pensando em coisas com “ismo”. Machismo, Feminismo, Nervosismo, Atletismo, Comunismo, Capitalismo, Exibicionismo, Consumismo… De fato alguns “ismos” passam uma ideia de exagero, talvez até de falta de equilíbrio… mas nem todos, temos aí também o equilibrismo! Deixa pra lá! Seja qual for o substantivo escolhido para nomear idéias, comportamentos e atitutes, hoje preciso falar de um ismo que realmente me irrita: O consumismo.

De adiantado já digo que sofro deste ismo aí (como de tantos outros). Mas não acho que isso seja uma qualidade como tanta gente imagina. Acho que é um desequilíbrio do desejo de posse. E por isso tento me policiar quanto a ele e não usá-lo como desculpa para meus problemas.

Ocorre que, muitas vezes, o consumismo nos ataca sem o nome de consumismo. Ele carrega a fantasia da necessidade e, disfarçado disso, quando você repara, já está cheia de coisas que não precisava.

Isso aconteceu comigo algumas vezes. Uma delas foi com relação a maquiagem. Nunca pensei que fosse uma consumista de maquiagem, até porque eu me achava mais hipponga que patricinha nesse assunto. Até que um dia uma amiga comentou que já tinha cinco bases líquidas. Fui olhar minha gaveta de maquiagem e contei sete bases. O mesmo número para corretivos de olheira e mais um tanto de rímel, blush e coisas ligeiramente desnecessárias para uma não-celebridade como iluminadores e sombras (que eu acho na maioria das vezes uma coisa que nos deixa mais feias). Tudo bem que muita coisa era presente, mas muita coisa era também comprada por mim. Como tenho olheiras gigantes, a desculpa que meu consumismo usava era “Você precisa comprar bases e corretivos para proteger suas olheiras, e precisa comprar blushs para chamar atenção para outra área”. Se eu tivesse ouvido esse pensamento uma vez,  teria comprado um ou dois corretivos, uma base e um ou dois blushs de tons diferentes e seria feliz. Mas não, eu tinha muito mais que isso porque tinha visto várias maquiagens na promoção, tinha acompanhado amigas em compras e comprado pra mim também, tinha sentido que minha cor estava mudando e tinha comprado tons diferentes etc. Resultado, uma gaveta digna de perua para uma pessoa que adora falar que é simples. Não combinava.

Em 2011, na minha lista de objetivos do ano, coloquei “não comprar maquiagem a não ser que você viaje”. Não era um não completo. Tinha uma condição legal e racional. Mesmo assim, não poderia exagerar. Consegui cumprir com esse objetivo! E foi uma delícia cortar no fim do ano mais esse tópico.

Em 2012 percebi uma outra coisa. Eu tinha tênis demais. E nenhum era de marca, até porque eu não sou fã de marcas. Mas como eu ando meio torto e desengonçada (meu charme!), eu destruo os tênis com uma facilidade incrível, por isso preciso ter sempre um step. Então meus tênis de supermercado foram se acumulando, porque além de eu não jogar fora os já destruídos, eu ainda comprava vários outros na promoção. Nunca tinha pensado que era consumista de tênis, uma vez que eu não ligava pra marca do tênis, mas quando percebi não ter mais espaço no armário, entendi. Foi pra lista de 2012: não comprar tênis. Mas esse não pude cumprir, pois me mudei para a França com apenas um par de tênis e ele logo desmilinguiu. Adquiri um razoável, que já está abrindo de novo… Mas já estamos em 2013, não é?!

Antes de viajar, doei uma série de coisas para pessoas que eu sabia que usariam. Muitos tênis não tinham mais uso como tênis, então foram pra reciclagem mesmo. Mas alguns que eram apenas demais ficaram para minha mãe e outros para outras pessoas que precisavam. Deixei espaço no armário. As maquiagens foram todas doadas para minhas primas, que são várias. Foram poucas as que guardei pra mim. E um corretivo foi para uma ex-colega de trabalho que reclamava do mesmo problema de olheiras. No trabalho de advogada, acredite, você vai ganhar olheiras mesmo se não tiver tendência.

Para cada coisa que eu doava, um alívio me preenchia! E uma promessa de nunca mais comprar coisas inúteis também me ocorria.

Pensei que a lista de objetivos do ano e o desapego racional aos objetos me fez bem, na busca para a cura desse ismo tão prejudicial ao planeta e ao bolso que é consumismo. Espero que a dica possa ajudar quem vive o mesmo problema. E que os nossos ismos sem graça se reduzam gradualmente. De graça!

Ps. Este post, foi escrito inicialmente para o blog “Minimalizo” que minha amiga Fernanda mantém com a amiga dela, Lud. Após, pensar um pouco, eu enviei um texto sobre o amigo oculto de talentos e fiquei com esse para mim. Temas como minimalizar, simplificar e descomplicar me atraem muito. Muito embora, seja sempre um processo!

Gatos fazem festa para os donos?

Publicado em

Mais um vídeo com a minha estrela preferida: Azzuca!

Perceba que o vídeo é completamente despretensioso e que a gatinha está recém-operada (ela foi esterilizada).

Tem dias que ela me espera na porta, tem dias que ela me ignora quando chego. Hoje, resolvi gravar.