Assinatura RSS

Arquivo do mês: junho 2014

Uma semana de dieta !

Publicado em

Muito bem ! Consegui uma semana de dieta !!! Sem comer açúcar refinado (apenas o presente no alimento fresco), massas, frituras, bebidas alcóolicas, carnes ou qualquer coisa proveniente de um animal (leite, ovos, corantes etc).

O que tem sido difícil : Muitos momentos não são compartilhados com os amigos. Por exemplo, se todos estão bebendo uma cerveja, eu estarei bebendo um suco de laranja.  Se todos comem crepes com nutella, eu como uma salada. Mas no fundo, é um desconforto tão temporário, que nem chega a atrapalhar. No caso da cerveja, eu já fazia isso de pedir suco muitos anos antes ! É só não render a vontade e o mimimi do povo que o desejo passa. O mais difícil mesmo é estar com fome e não poder atacar as coisas gostosas mais ao alcance e sim ter que preparar alguma outra coisa, ou se contentar com frutas ! Isso é dureza.

image (2)

O que tem sido bom : O que foi bom foi que descobri outras formas de comer e de cozinhar alimentos. Formas que eu nunca cogitava, pois as outras opções eram mais fáceis. Eu não sou muito aplicada na cozinha e esta semana usei muito mais o forno para fazer berinjela, inventei uma sopa de abobrinha, enfim, tive que usar a criatividade com os recursos que tinha e acho que foi positivo !

Outra coisa que achei interessante é que passei a pensar em outras formas de usar coisas que agora eu estou evitando comer (como queijos). Quando sair da dieta, tenho idéias de preparar uns pratos com queijos que nunca me ocorreram antes. Sabe quando você está trabalhando muito e fica pensando no que faria se tivesse tempo livre ? Pois é, quando temos tempo livre demais, nunca pensamos no que deveríamos fazer, mas quando estamos apertados, temos mil idéias. Isso acontece também na esfera da alimentação. Me sinto muito mais criativa gastronomicamente agora !

Também observei que minha pele do rosto melhorou muito no dois dias seguintes ao início da dieta. Achei que ficou muito mais jovem ! Mas agora já acho que ficou normal de novo… será que é por culpa do arroz que passei a comer ?? De qualquer forma, me pareceria impossível seguir uma dieta sem comer algo de mais sustância como arroz ou batatas. Mesmo que esses não sejam elementos emagrecedores !

image (4)

 

O que não tem mudado: o peso. Em termos de emagrecimento, essa dieta não me parece a ideal, até porque ela não foi formulada para isso. Meu peso diminuiu um quilo essa semana, mas nem sei se posso atribuir isso à dieta, pois é normal essa variação na minha vida ! Fora que não estou controlando a quantidade de comida, apenas a qualidade dela. Então, realmente, não recomendo para quem estiver querendo emagrecer. Talvez seja mais adequada para quem tem colesterol alto, ou problemas nos rins, mas em todo caso, isso tem que ser verificado com um médico. Eu não recomendo essa dieta para ninguém sem acompanhamento.

 

O que me impressionou : Nos primeiros dias, senti muita falta de açúcar e no terceiro ou quarto dia, passou. Fiquei bem mais tranquila.E hoje não sinto falta nenhuma. Mesmo se eu ficar na frente de alguém comendo uma pizza de chocolate, não vou ficar salivando. Claro que sei que o açúcar é uma fonte de prazer e que terei muita alegria de voltar a comê-lo. Mas agora sei também que é um vício que pode ser melhor controlado. E deve ser !

Outra coisa que tem me impressionado é como salada pode levar à saciedade. Uma dica é colocar muito alho. Tudo que leva muito alho me dá a impressão de ter comido tanto  (acho que é trauma !) !

 

O que pode ser que mude : como disse em um vídeo anterior, pode ser que eu inclua leite na alimentação para aumentar fonte de proteínas. Hoje também incluí feijão , que estava com saudade !!! Entendo que essa dieta deixará de ser vegana se o leite ingressar.
Mas, vem cá, vamos conversar sobre isso. Na índia, minha colega estava contando, ela tem uma amiga vegana que toma leite. E, à princípio, achamos estranho. Depois nos lembramos que para eles a vaca é sagrada, então o leite deve ser retirado da forma mais respeitosa para o animal, certo ?! Sendo o leite retirado de forma respeitosa, ele ainda feriria os princípios veganos ?

Também não sei responder. Deixo a pergunta no ar. E a dieta segue.

image (3)

Anúncios

Azzuca na Copa! Brasil x Chile

Publicado em

Azzuca fez uma hora pra comer nesse vídeo, mas finalmente decidiu quem será vencedor!

🙂

 

Azzuca na Copa! Brasil x Camarões

Publicado em

 

Acompanhamento: Terceiro dia de dieta

Publicado em

No terceiro dia de dieta, estou fazendo uma união de alguns links e informações que recebi por e-mail tanto de pessoas que são favoráveis à dieta, quanto de pessoas que estão preocupadas.

A idéia da dieta surgiu de uma brincadeira e não foi pensada por nenhum profissional da área (o que não é recomendável, realmente). Por isso, toda informação é bem-vinda !

O desafio da alimentação saudável é muito complexo porque muita coisa que as pessoas entendem como saudáveis nem sempre são e muitas coisas que entendem como não saudáveis, às vezes, em pequenas doses, podem ser.

Por isso é difícil saber quem ouvir. E o que me parece a melhor idéia é ouvir todo mundo e depois tomar as suas próprias conclusões a partir dos filtros que colecionamos com a vida !

Alimentações radicais não me atraem por muito tempo. Um dia de jejum pode ser ok, mas muitos dias, não consigo imaginar. Faz muito tempo que não faço dieta. Muito tempo mesmo. Acho que minha última dieta foi de restrição de açúcar quando eu tinha uns 19 anos. Eu passei a comer açúcar somente no fim de semana e na época me lembro que meu corpo reagiu de uma forma bem estranha. Desta vez, ainda não comi nada com adição de açúcar  e, por incrível que pareça, do açúcar não sinto falta nenhuma agora. O que mais sinto falta é de pão e queijo.

No vídeo abaixo eu explico que talvez o leite puro vá entrar na dieta e que por isso ela não será completamente vegana. Andei recebendo umas informações sobre os perigos de ficar muito tempo sem proteína animal e, como desde o início eu havia previsto alguma participação do leite, talvez isso venha a acontecer. E se acontecer, terei que inventar outro nome para a dieta. Mas isso não é um problema!

Embora o leite me pareça um ótimo alimento, alguns e-mails informavam exatamente o contrário, como este que linkava uma matéria sobre uma pesquisa de Harvard :

Harvard diz que laticínios podem fazer mal à saúde

Ou o link que fala de algumas formas de substituir a proteína da carne (mas recomenda a visita a um nutricionista):

10 fontes de proteínas que podem substituir a carne 

Porém, outro e-mail dizia de forma bem coerente o seguinte: ” Nós não absorvemos proteínas de nenhuma fonte. O que a gente absorve é o aminoácido, que é o tijolinho da proteína. A proteína cai no nosso sistema digestivo, é desdobrada em amino-ácidos, absorvida e vai formar nossas próprias proteínas, remontadas conforme o código genético de cada um. Retirar proteína dos vegetais é muito mais complicado. Elas são muito mais escassas e muito distantes de nós do ponto de vista de cadeia alimentar e as dificuldades para a digestão, para transformar isso em aminoácidos é muito maior. Daí, a gente acaba com deficiências.”

Ou seja, por 25 dias, pode ser que nem faça tanta diferença, afinal, a maioria das pessoas come o tempo todo sem consultar profissionais ou ler a respeito, mas é melhor considerar essas informações. Está sendo uma experiência mais interessante do que eu pensava! Pois, como disse, começou de uma brincadeira e agora está sendo uma fonte de análises de diversas informações sobre alimentos e também reações sobre a alimentação das pessoas!

Hoje uma amiga que não sabia da dieta me chamou para jantar na casa dela. Comentei que estava fazendo uma dieta meio restritiva e tal. E ela respondeu com a mensagem “Não se preocupe, o prato de hoje é só de legumes!”!

 

25 dias de dieta vegana

Publicado em

No início do ano eu fiz o desafio comigo mesma de passar 21 dias sem reclamar! Consegui fazer uns 10 dias, até que tive uma prova oral onde a professora praticamente me destroçou… nesse dia o desafio foi por água abaixo e a Pati, que estava superengajada fazendo o mesmo desafio comigo lá de Dubai até perdeu as esperanças…

Os desafios são assim. Podem funcionar ou não. As vezes estamos preparados, outras não tanto. Como diria minha amiga Silvinha, “Pelo menos a gente tem que tentar”. E tentar do fundo do coração, com vontade de conseguir. Já diria Nelson Mandela, “a winner is a dreamer who never gives up”!

Desta vez, o desafio é de comer melhor, mais natural e vegetariano possível. Tem muito a ver com o lado bo-bo utópico do texto anterior! Quero comer melhor para salvar o planeta! Não vou salvar o planeta assim, mas vou fazer a minha parte!!! Ou, pelo pensamento Silvinha, pelo menos vou tentar!!!

Segue vídeo com explicação!

Nós bo-bos

Publicado em

Existe um conceito na França que é o de bourgeois bohème, com tradução para burguesia bohêmia. Esse conceito, na verdade, é múltiplo, pois tem diversas interpretações.

Uma de suas interpretações pode ser comparada ao da « esquerda festiva » que muitas vezes é utilizado para designar aquela pessoa rica, bem de vida, mas que adora zombar dos também ricos, chamando-os de alienados, politicamente analfabetos e imputar-lhes a obrigação de distribuição de renda, quando ela mesma, está lá viajando de avião todo feriado. É quase que o sujo falando do mal-lavado. Este tipo de bourgeois só gosta de filme iraniano  e se recusa a falar inglês. Adora comentar que Jô Soares só fala de sexo, mas alucina com a carreira do Woody Allen.

Essa interpretação engloba a elite que fala mal de si mesma julgando-se melhor que os demais da elite porque ela não se vê como elite, mas como trabalhadora e merecedora da grana que tem para fazer o que quiser. É o tipo de pessoa que sente que é mais boazinha que as outras porque se recusa a usar salto alto.

Daí que a gente possa concluir que o mundo começou a se desentender feio quando um grupo de pessoas passou a se considerar mais trabalhador que outro. Como se não fossem todos os trabalhos importantes. Inclusive, se apropriaram do adjetivo « trabalhador » para designar apenas um tipo de trabalho. O trabalho intelectual deixou de ser um trabalho de trabalhador, mesmo que seja o trabalho de muitos bo-bos. E mesmo que seja também um trabalho muito difícil.

Aí a guerra continuou quando a pessoa que oferecia o emprego (ou o trabalho !) passou a ser considerada a inimiga e, o pior, muitas vezes, assumiu este papel e se tornou realmente a vilã da história. « Não quer trabalhar 12 horas por dia ? Tem uma fila de gente querendo ! », que cliché.  Cara, você tinha a chance de ser um exemplo de líder e escolheu ser apenas um carrasco…

O Bourgeois Bohème, ou bo-bo, como é conhecido na pátria dos bo-bos (a França) é um conceito em transformação. Para esta primeira interpretação, o bo-bo nunca viveu o excesso de trabalho. Ele saiu de casa aos 20 anos, mas só precisou trabalhar aos 25. Quando machucou o joelho, ele teve duas semanas de licença. Quando ficou cansado, ele viajou o mundo com o dinheiro do seguro-desemprego. Quando lhe dá vontade, ele gasta três ou quatro cifras de euros com vinhos e também não poupa com drogas ilegais. Ele se julga esperto por ser diferente, mas não suporta idéias diversas às suas. O bo-bo festivo adora jogar lagostas vivas na água fervendo enquanto reclama das crueldades do capitalismo. Pelo sabor da comida, vale tudo, o prazer de comer é o que importa para ele.

Do outro lado da mesma palavra, existe a nova categoria de bo-bos. E é um bo-bo mais legal! Ele não deixa de ser um utópico, mas é aquela criatura que tenta encontrar prazer no trabalho. É o pequeno empresário que tenta negociar com honestidade porque adoraria que todo mundo seguisse seu exemplo. É o cara que gosta de unir grupos diferentes porque seria bom que todo mundo fosse amigo. É a musicista que não come proteína animal, o arquiteto que faz tudo de barro. É o advogado que se desloca de bicicleta e o ator que financia seus próprios filmes sobre hortas urbanas e escaladas com cabras. Esse grupo de bo-bos ainda não conseguiu ganhar tanto dinheiro quanto os primeiros bo-bos, mas é um grupo que tem na herança uma « margem para tentar e errar » e vem ganhando adeptos no mundo todo. O bo-bo utópico não é consumista e prefere uma casa pequena e uma cidade linda ao condomínio de luxo do bo-bo festivo.

Mas o bourgeois bohème do primeiro exemplo não é exceção. Ele vive em cada um de nós. Cada um de nós que tem um teto para morar e um facebook para compartilhar o nosso lado politicamente correto. Cada um de nós que tem um blog e uma birra do ex-patrão que publicou um livro com seus textos e não te pagou. Cada um de nós que não está verdadeiramente trabalhando para ajudar ninguém, que faz ativismo de rede social e se considera revolucionário. Cada um de nós que espera que a solução venha dos outros enquanto a gente aumenta nossas horas de repouso para não ter rugas tão cedo. Que xinga presidente e xinga candidato com a mesma boca que toma coca-cola.

Esse nosso eu-bo-bo, a gente bem que podia tentar mudar !

Ser bo-bo é uma coisa nova no mundo. E ainda um ser em observação. Mas ser bobo é um conceito consolidado há tempos. E, por incrível que pareça, é também uma escolha pessoal. Boa sorte pra gente!

Causas possíveis e Azzuca na Copa

Publicado em

Pessoa! Dia 16 de junho me parece o dia das causas difíceis e quase impossíveis! Foi num dia 16 de junho que recebi o resultado positivo da OAB, foi num 16 de junho que meu francês foi me visitar no Brasil. E a lista só cresce! Hoje Schumacher acordou de um coma, meu mestrado finalizou e a fada dos doces tinha um bombom novo pra mim em Candy Crush!

Para continuar com o otimismo e homenagear o finado Polvo Paul, eu e Azzuca preparamos a brincadeira do oráculo da Copa do Mundo para você. Por falar em causas impossíveis, repare como ela está limpinha. Ontem teve alguém aqui que se empenhou em dar-lhe um banho no chuveiro!!! É a copa, minha gente!!!