Assinatura RSS

Arquivo do mês: novembro 2017

Sobre ter sorte e fazer esforço

Publicado em

Quando me mudei para a França, toda vez que eu encontrava algum estrangeiro com autorização de residência aqui, eu ficava meio babando e pensando « gente, tudo que eu queria era ficar tranquila em relação a este a assunto e essa pessoa já tem isso e nem está valorizando ». A mesma coisa acontecia quando eu, pessoa com certa dificuldade de me localizar no espaço, estava tentando tirar carteira de motorista, aos 18 anos, no Brasil. Encontrava minha vizinha que já pegava o carro e saía para ver as amigas e pensava « que sortuda ! Tudo que eu queria era tirar essa carteira ».

Imagino que quem faz ENEM deve pensar a mesma coisa de quem já entrou na faculdade, quem está na lista de espera para ser chamado para um concurso, deve pensar a mesma coisa de quem já foi chamado. Enfim, quem carrega consigo alguma preocupação, deposita em quem não carrega a mesma preocupação, uma certa cobrança de que aquilo seja valorizado. E numa boa ! Não tá errado não ! Amo uma frase que diz « Sorte é isso : merecer e ter ». E já te adianto que este texto estará carregado de frases boas, porque eu dei muita sorte de encontrar um monte pela vida e guardá-las.

Eu estava na despedida de um amigo italiano que decidiu mudar pra Catalúnia porque a fim de mudar de vida. Duas doses de vinho depois, fui falar com a namorada dele, uma francesa, querida, mais simpática que o normal. « E aí, como você está ? » e ela « Poxa, é muito difícil, eu achei que a gente ficaria junto, já que estamos tão bem… ». Com as mesmas duas doses de vinho, pedi licença e fui até ele « Você tem que ir mesmo pra Barcelona?? ». Ele me abraçou, disse que amava muito a Fulana, mas que nada era mais como antes. Ele iria assim mesmo.

Voltando pra casa, no vento vermelho de outono que me embaraçava os cabelos mais que tudo (sorte sua que tem cabelos soltinhos e macios). Ali, la na ponta inicial dos meus fios, eu pensava « Ai se eu tivesse encontrado um grande amor ». Peguei a câmera e fiz daqueles vídeos que ficam no ar por 24h. Falei de quatro coisas que, se a gente não tem por sorte, é meio difícil a gente encontrar/ter : Um grande amor, um bom trabalho, muita saúde e uma família maravilhosa.

Então deixa eu decorticar isso, como diriam os franceses (esses sortudos que já nascem com passaporte europeu). Até porque, uma amiga muito fina mandou « discordo amigavelmente, quero falar sobre ». E em sua fala ela dizia, « usamos a desculpa de que é muito difícil para nem tentarmos, eu já pensei que tivesse uma saúde frágil, mas busquei conhecimento e descobri que poderia aprimorar muito minha saúde com a alimentação e algumas atitudes saudáveis ». Ela ainda continuou « sobre a família, temos uma visão padrão do que seria uma família perfeita e nós podemos fazer da nossa família o ambiente mais perfeito possível dentro da realidade dela ». Amiga, não poderia concordar mais, expliquei. Quando falei de muita saúde, me referia a pessoas que estão em estados terminais ou com doenças muito graves e limitadoras, quando tudo que querem é ter a chance de viver sem aquela dor ou problema. O avô de uma amiga, ao sair de uma cirurgia, foi perguntado pelo médico se estava sentindo algo e ele respondeu com a frase mais eloquente que já ouvi « Vontade de viver ».

Nós, pessoas saudáveis, temos essa sorte. A sorte de não termos que preocupar tanto com a saúde a não ser comer direito, dormir bem, movimentar regularmente e evitar muito frio ou calor. A gente tem uma sorte tão enorme com isso, que é falta de educação não reconhecermos e não agradecermos todos os dias. E digo mais : Ainda nos cabe oferecer ao mundo o melhor que nossa forma física e psicológica possa dar. É nossa obrigação, como sortudos que somos, oferecermos o melhor daquela sorte que tivemos. No caso aqui, da nossa saúde. E eu estou escrevendo isso e arrepiando ao mesmo tempo de ver o tanto mais que eu poderia estar fazendo e não estou. Shame on you, sua pessoa com os exames todos normais que fica sentada numa cadeira sendo menos do que poderia ser.

Sobre a família, quando falo em família maravilhosa, não me refiro a uma família perfeita, até porque não acredito nessa fachada. Mas um ambiente onde seus familiares te dêem condição de estudar, de perguntar coisas, de descobrir. Onde você possa ter crescido mais ou menos livre para ser quem você é em essência, sem violência doméstica, sem grandes traumas psicológicos. Essa é mais uma coisa que eu tive, e até o momento não sei explicar essa sorte. Talvez, para quem seja de acreditar em outras vidas, eu tenha feito coisas excelentes que me fizeram merecer isso. Mas a verdade é que eu não tenho como garantir nada disso. Talvez seja um teste para ver o quanto eu farei com aquilo que me foi dado. Dado não, emprestado ! Como diria outra amiga, Liliane Prata, « Tudo que é nosso está em consignação », ou seja, a qualquer momento pode ser perdido. Qualquer momento. E sigo dizendo : façamos o melhor do que temos até agora.homerfamilyE e então restam esses dois : Um bom trabalho e um grande amor.

Um bom trabalho. « Ora, todo mundo que se esforça acaba encontrando um bom trabalho ». Penso mesmo que esforço e trabalho são coisas que trazem grande « sorte » para todos. Meu pai gosta de citar uma frase que diz algo como « quanto mais me esforço, mais sorte tenho ». E acho de verdade que é por aí mesmo. Mas tenho algumas observações vindas de experiências pessoais. Já estive em lugares onde o esforço era muito menos valorizado que a… digamos politicagem. Outros, que simplesmente não importava o seu esforço. Outros em que era mais valorizado puxar o tapete dos colegas do que se esforçar de maneira inteligente. Então, é claro que ter um bom trabalho exige esforço, mas exige mais do que isso, exige uma união de fatores que atualmente chamo de sorte como encontrar um patrão honesto, elaborar uma estratégia inteligente, achar um trabalho acessível que você possa ir de onde você mora sem grandes problemas e até participar de um processo seletivo justo. Também vejo como grande fruto de esforço com sorte a gente conseguir tempo e energia para realizar algo que faça sentido e que tenha afinidade com o indivíduo que somos. Coloque aqui um emoji Y Generation force !

millennials-1

E aí chegamos na questão do grande amor. Que por si só daria um livro, dois, milhões de livros. Um tema sem fim. Um tema que não pode ser reduzido à sorte ou ao esforço. Mas que definitivamente não é algo fácil de ser encontrado. E, ainda que tenha sido fácil para você encontrar, não deve ser fácil de ser mantido. Portanto, digo e repito. Se você o tem, é aconselhável valorizar. Não que tenham que rolar abraçados na calçada na frente de todo mundo. Por favor, não ! Mas leve mais sorriso pra sua companheira/companheiro. Deixe o mundo um pouquinho mais leve pra pessoa que está com você. Dá aquele cheiro enquanto seu amor estiver distraído, aquele bom dia quando todo mundo acordar atrasado. Faz aquela comidinha surpresa e tenta aceitar os amigos, as diferenças, o ascendente em Áries e o papo de horóscopo. Dicas de alguém que não tem um grande amor !

Finalmente, sorte e esforço se cruzam o tempo todo nas nossas vidas e é verdade que temos o que falta para uns e nos falta o que outros têm e isso, embora pareça injusto, pode ser o nosso grande argumento de união. Por isso a gente vive em comunidade, por isso a gente sente compaixão. Por isso não temos motivos para empinar o nariz. Só agradecer, e se ajudar a suprir uns vazios. É para isso que estamos juntos, para aprendermos uns com os outros e também, para depois de duas taças de vinho, a gente tomar uma certa coragem e… ei, seu sortudo, repara na sorte que você tem e valorize !

CreativeSpirit

….

Escrevi este texto depois que Maila viu meus vídeos comentando sobre o caso do casal que se separaria. Ela, que me conheceu pela internet, me pediu para escrever sobre o assunto e eu, que a conheci pela internet, disse que era pra ela escrever. Ela escreveu. Mandou seu texto. Eu pirei na história, pensei num monte de coisa e falei « vamos fazer isso juntas, agora eu quero escrever também ». Então, essa é uma história a quatro mãos ! Que começou porque um bendito de um italiano largou minha amiga para ir viver na Catalunia. Ah, se ele soubesse.

« Eu sempre me perco nesta fronteira que classifica os acontecimentos como sorte ou como fruto de esforco. Na verdade acho que os dois se complementam. E mais, acho que a proporcao varia de situacao para situacao e de pessoa para pessoa. Existe gente sortuda? Existe sim. Eu inclusive acho que sou mais sortuda do que azarada. Mas acho tambem que muitos dos momentos de “sorte” que tive na minha vida foram fruto de esforco. E nao falo somente sobre esforco fisico de levantar cedo, sair para trabalhar ou estudar, chacoalhar em onibus lotado,  suar a camisa etc e tal. Eh obvio que isso eh importante e deve sim ser valorizado. E muito! Mas existe “algo” alem disso. E eh algo dificil de explicar porque eh muito pessoal. Ha quem chame de fe, ha quem chame de energia, frequencia, filosofia, exoterismo, otimismo e ha ate quem julgue o outro, portador deste “algo”, classificando-o simplesmente como inocente.” Continua AQUI