Assinatura RSS

50 nuncas de 2017

Publicado em
50 nuncas de 2017

Desde 2013 que ando esperando que o ano que vem seja melhor. Também foi a partir do fim de 2013 que comecei com essa ideia de fazer uma lista de 50 nuncas. Tem pouco sentido a gente esperar que as coisas sejam diferentes se a gente continua fazendo tudo sempre igual.

Acho que não precisam ser 50 coisas. E nem 50 coisas absolutamente diferentes. Só de mudar o jeito que a gente vive nossa rotina, ou a forma como a gente enxerga uma ideia ou lida com ela já é uma melhorada que podemos dar pro nosso futuro.

Beleza, vamos então esperar que 2018 seja um ano melhor. De muita paz e saúde lá fora e aqui dentro. Espero também ser uma pessoa melhor em 2018, poder produzir mais, poder concretizar umas ideias, conhecer mais gente, praticar uns esportes e umas aventuras diferentes, ter mais paciência, mas ter mais reflexo também. Agir à tempo. Falar alto quando preciso e não falar também como resposta. Salvar mais bicho da maldade humana e salvar mais humanos do que é desumano.

Tava falando disso outro dia, minha religião se chama Tentar !

HarryEuAmor

  1. Fiquei ruiva. Começou com uma tinta que destruiu meu cabelo e depois passei pra henna que destroi menos. Estou gostando, mas pode ser que eu mude de novo. Isso aqui não é um contrato.

CabeloRuivo

2. Fui pra Berlim com meu pai. Como tenho origens alemãs por parte de pai, isso foi meio que um sonho realizado. O problema é que estava frio demaaaais em janeiro. Mas foi a época possível ! Adorei ver papai praticando o alemão dele. De todas as minhas origens, a origem alemã é a que eu menos sinto correr nas veias, mas aprendi a apreciar muita coisa desse povo, como por exemplo o fato de encontrar diversos grupos de velhinhos rindo nos restaurantes. Por que não vemos isso no Brasil ?

 3.  Perguntei para alguns artistas o que era arte. Com meu trabalho como jornalista em Avignon, tive a oportunidade de encontrar artistas de todo tipo fazendo exposição por aqui. Alguns muito maravilhosos e alguns bem picaretas mesmo. Pela primeira vez, questionei sobre o que era arte para alguns deles. Continuamos sem uma resposta objetiva. E gostamos disso.

4. Encontrei minhas tias e primos em Paris. Paris não é aqui do lado e não é tão fácil assim ir para lá. Mas consegui e tive a oportunidade de fotografar a primeira vez que tia Raquel viu o arco do Triunfo que combina tanto com a mulher que ela é. Que emoção! Amo vocês.

primosParis

5. Fiz dread no cabelo pela primeira vez. Cynthia e Marta me ajudaram na produção caseira, mas não consegui fazer durar muito tempo. Talvez numa próxima vez, sem esquecer o discurso da apropriação cultural que é relevante, mas não impeditivo de nada, ao meu ver.

6. Fui numa reunião sobre óleos essenciais. E achei que seria meio mais ou menos, só que saí convencida de que é uma arte.

7. Adotei um ninho de baratas. Calma. Essa é talvez a minha maior esquisitice, mas me fez muito bem descobrir e acompanhar o crescimento de um ninho de baratas no centro de Avignon. Até por ser uma coisa só minha mesmo. Uma atividade que não me lembra mais ninguém neste mundo. Tenho fascínio pelos insetos. Estava lá um dia de madrugada (que é a hora que elas saem do ninho para comer a sujeira que nós deixamos) observando o grupo quando um mendigo chegou e se agachou do meu lado perguntando o que tanto eu olhava. Contei pra ele e ele conversou um pouquinho, mas passou a me evitar. Ficou com dó de mim.

8. Abordei um comediante stand-up na rua com a última fala da peça dele, apresentada 4 anos atrás. Era uma frase, apenas uma frase (em francês), mas que representou muito pra mim naquela época, por isso eu tinha decorado. Ele ficou tão impressionado que construímos uma amizade em cima disso. E mandei ideias para a próxima peça dele. Ah, o festival de Avignon é a melhor coisa do mundo. Toda cidade merece ter um festival de teatro onde os artistas realmente passem o dia na rua, circulando e conversando com os meros mortais.

9. Inventei que eu era Head Hunter em uma festa e acreditaram em mim. Não sou de inventar personagens, mas durante o festival de Avignon fiquei com preguiça de contar minha vida e comecei a criar histórias. Acontece que um produtor teatral realmente acreditou que eu era head hunter até a hora que não aguentei mais e contei a verdade. Mesmo assim, nossa amizade se manteve. E se mantém.

10. Passei três horas correndo atrás de um cachorro fugitivo. O cachorro de um amigo, que dormia acorrentado a uma cadeira num bar, ao ser acordado por um transeunte, se assustou e saiu correndo com a cadeira amarrada (quem já leu Marley e eu?). Saí correndo atrás por motivos de : era um cachorro correndo com uma cadeira, oras. O pessoal de uma pizzaria mais na frente, conseguiu pegar o cachorro, mas ao desenrolar ele da cadeira, ele correu de novo. Nisso o dono dele estava vindo atrás e eu tentei correr mais para alcançar, mas o cachorro ganhava de muito. Uma hora perdemos ele de vista. E meu amigo, que trabalhava como palhaço temporariamente aqui e não conhecia a cidade, precisava de ajuda. Ficamos boa parte da noite chamando o cachorro, perguntando para as pessoas, até que encontrei outro amigo que viu para onde ele tinha corrido e conseguimos chamá-lo de volta. Ao chegar em casa, 3h da manhã, meu roomate estava dando uma festa aqui no apto, achando que eu estava dormindo pesado no meu quarto ! Quando contei que estava todo esse tempo correndo atrás de um cachorro, ninguém acreditou.

Thao

11. Dois homens entraram na minha vida este ano e tenho que anunciá-los : Shahid e Bertrand. Espanhol e francês. Amigos pra toda hora. De comprar bolo na padaria a ficar perdido em montanha (aguarde os próximos itens da lista). Fizeram meu ano mais feliz.

12. Meu primeiro casamento na Itália. Meus amigos se casaram em Gaeta e lá fomos nós em comitiva jogar arroz de risoto nos noivos. Foi um dos lugares mais bonitos que já vi, mas isso a gente pode falar de quase todo canto escondido da Itália. Vi a maior pizza brotinho da minha vida. Fotografei algumas baratas italianas e conheci muita gente legal. Amo esse povo. Lembrando que tenho origens italianas também e essa eu sinto pra valer !!!

meninasCasamentoSara

13. Comecei a fazer irrigação por capilaridade nas plantas aqui de casa. Funciona muito bem com o pé de abacate.

14. Encontramos e salvamos um ouriço na rua. Ele passa bem, vive nos quintais de diversas casas e não nos espetou.

Ouriço

15. Tive um texto com mais de 10K de likes na internet. Isso vale muito para quem vive de comunicação. Tudo porque divulguei as fotos que minha tia fez de um morador de rua que vende trabalhos de tricô e croché em BH. Divulguei com o pessoal do Razões para Acreditar.

16. Conheci a Andaluzia. Um dos lugares mais místicos que eu poderia conhecer. Uma reunião de culturas, com muita música e gente bonita. Mas um calor infernal. Evite passar por esses lugares em julho.

Andaluziaaa

17. Vi o tratado de Tordesilhas. Em Sevilha, na Andaluzia, conheci o contrato que dividia o mundo entre Portugal e Espanha. Saí do museu tão feliz que abracei uma desconhecida na rua. Ela abraçou de volta.

18. A textura do meu cabelo atingiu o ápice da sua naturalidade. E assim seguimos. Toda vez que eu falo ápice lembro do Pablo. Pablo, beijo pra você.

Tofalando

19. Fui numa reunião dos Vigilantes do Peso. Depois fui contratada por eles porque ano passado perdi uns bons quilos. Com essa contratação, acabei assumindo que perderia o casamento de três amigas no Brasil e um curso na universidade de Coimbra com a Adriana Calcanhoto. Ia trabalhar de bicicleta.  Nunca cheguei atrasada. Duas semanas depois recebi um e-mail oferecendo uma promoção e um treinamento em Paris. Me falaram que eu teria que comprar um carro. Custei, mas comprei. Cheguei em casa com o carro em casa e encontrei minha carta de demissão dizendo que eu não era suficientemente móvel. Se a proposta deles era me fazer perder peso, posso dizer que realmente funcionou.

20. Estabeleci uma relação muito boa e maravilhosa com meus vizinhos. Que eu amo e passaram a fazer parte da minha vida.

21. Aprendi a fabricar meu próprio creme hidratante. E vale muito mais a pena. Aprendi também que cremes não tiram ruga, não emagrecem, não mudam estrutura de nada. E aí ando espalhando esses aprendizados sobre o marketing mentiroso na página do Lawsumerism.

22. Iniciei um novo projeto Lawsumerism. Um projeto que une Direito com consumo consciente. Seu nome é um trocadilho com Lowsumerism (consumo lento). Vai lá no insta @lawsumerism e no facebook de mesmo nome. Estou apaixonada com essa ideia.

23. Conheci Toulouse. Uma cidade francesa linda e cheia de vida. Talvez a cidade mais viva das cidades francesas que já conheci.

IMG_9119

24. Fiquei seis hora perdida numa montanha. Isso não foi muito longe de Avignon, mas nossa ideia era uma caminhadinha de 40 minutos e acabou virando seis horas porque pegamos um caminho errado e não conseguimos reencontrar a saída tão cedo. Felizmente, não estava sozinha e estava com pessoas muito maravilhosas que começaram a cantar para espantar o desespero. A experiência virou textão pra Review.

Ondeestamos

25. Conheci Albi, outra cidade francesa, onde nasceu Toulouse-Lautrec. Adorei a beleza da cidade, mas senti falta de gente na rua.

26. Conheci Deborah e Tiago. Dois brasileiros que salvaram minha vida social em Avignon. Deborah, inclusive, veio para Avignon depois de descobrir o meu blog, o que me alça para o patamar de influencer digital, não é mesmo minha gente ??

27. Descobri uma forma de me divertir sozinha acompanhada. E isso criou uma série de festas dançantes no meu quarto enviadas para a internet pelo stories do Instagram, que aliás, só comecei a usar este ano e isso mudou bastante minha forma de comunicar com o mundo ! Tento ser educativa ! (@diorelak)

28. Fui guia de três cidades para o Passagens Imperdíveis. Avignon, Aix en Provence e Marseille. Para isso, estudei e andei bastante. Foi um trabalho muito mais duro do que parece, mas adorei. E me apaixonei por Aix e Marseille, que sempre foram próximas da minha cidade, mas eu nunca tinha realmente, realmente me envolvido com elas.

Marseille

29. Conheci o atelier de Cézanne. Foi em uma das minhas gravações para Aix en Provence. O atelier foi uma casa que ele construiu para trabalhar. O artista só vendeu um quadro ao longo de toda a vida, e hoje é referência no mundo. Em sua casa, também temos acesso ao jardim por onde ele passeava e buscava inspiração. Quase chorei.

AtelierCezanne

30. Visitei o quarto de Van Gogh em Saint Remy. E pela primeira vez, conheci uma faceta da história dele que eu não conhecia bem. Embora sempre tenha gostado de História da Arte, eu mais ouvia falar de Van Gogh como um cara que cortou a própria orelha (história que também é questionada), mas a verdade é que todo mundo tem sua beleza e sua dureza e Van Gogh foi muito mais do que isso. Ele pintava praticamente um quadro por dia, sofria com muitas questões e buscava amigos e algum reconhecimento. Não deu muito certo em vida. Mas ele tentou, velho, e só me faz pensa até quando ainda seremos tão cruéis e egoístas com quem é diferente do padrão? Mais um que trabalhou a vida inteira e não ganhou nada por isso. Mesmo assim, nos deixou tantos presentes.But I could have told you, Vincent, this world was never meant for one as beautiful as you”.

2017-12-21-PHOTO-00000476

31. Fizemos um recital de poesia diante do fenômeno de estrelas cadentes. E por falar em noites estreladas, no dia em que as estrelas pareciam cair do céu, eu e duas amigas pegamos o carro e fomos para um antigo forte numa cidade próxima daqui reparar no céu. Enquanto isso, aproveitamos para ler poesias de Galeano. Fantasiei que cada estrela era um artista piscando pra gente aqui nesse mundo de meu Deus. Combinou !

32. Consegui desentupir uma pia. Sozinha !

33. Perdi a ilusão com a idéia de amor romântico. E você?

34. Descobri que a tenebra é um inseto que pode ajudar muito na reciclagem. Como a maioria dos insetos, a tenebra é muito útil e também ajuda na reciclagem. Conversando sobre isso com meu avô, descobri pela wikipedia que foi estudado que sua larva é capaz de comer alguns plásticos e isopor, duas paradas dificílimas de reciclar. Mas ainda assim, não é para você largar mão de cuidar do seu lixo porque acha que um besouro vai salvar sua vida, beatlemaníaco. Todo esse trabalho é lento, e, embora seja de grande serventia, nós, os seres humanos, temos que ser menos inúteis que um inseto e pararmos de acelerar a destruição do planeta.

35. Conheci Belém, no Pará. Apenas em um dia. Não consegui conhecer tudo, mas adorei as pessoas e a vista do lugar de onde vem uma das minhas melhores amigas: Ju. 

Belem

36. Fui num baile de máscaras em Londres. E essa ideia que a gente tem que velho não sai, não dança, não se diverte, tá meio retrógrada. Em Londres, me diverti muito com uma galera de idade bem variada, tinha gente quase chegando nos três dígitos e mandando muito bem no verdade ou consequência. Sem mais.

37. Encontrei meu tio, tia, Lívia, Tiffany e Vanessa em Madrid. E nosso almoço foi agraciado com relatos do caminho de Compostela que meu tio fez. E toda história de caminho é também uma história de superação e luta interna, né ?! Tio, escreve um livro !

38. Comecei a escrever um livro que deve efetivamente ser publicado. É um livro didático. Estou amando e aprendendo muito com as pesquisas. Preciso terminar logo. Falaremos mais disso depois.

39. Conheci Pompeia. Uma cidade que há dois mil anos foi destruída pela fúria de um vulcão. Mas pensa numa cidade moderna. Era Pompeia, há dois mil anos. Uma cidade que tinha shopping center, porta de correr na frente das lojas, guia de orientação sexual e farmácia, e pessoas diferentes conviviam sem ódios.

Pompeia

40. Nasceu uma beringela na nossa plantação de apartamento. É possível ! E quero recuperar o tempo que perdi não sendo uma pessoa interessada nesse assunto. Desculpa. Agora isso tudo me interessa muito.

41. Encontrei D. Diva e Clarice aqui em Avignon. Mais um item de caráter pessoal, mas deixa eu só dizer que essas mulheres são muito maravilhosas e eu aprendo muito com elas. Todas duas amigas originalmente da minha mãe que agora são também minhas porque amizade não tem idade, né amores. O que conta é o nível de conversabilidade das pessoas.

42. Entrei numa onda de produção de menos lixo. Depois que fiz uma matéria para o jornal daqui falando da experiência de uma semana sem produzir lixo (que não foi 100% eficaz, mas ajudou muito), passei a estudar mais o assunto e me ligar mais nas bobeiras que nós humanos fazemos pela « praticidade ». Descobri o instagram Por favor menos Lixo que me inspirou para mais um monte de coisas. A gente vai mudando aos poucos e tentando aos poucos, e isso faz muito bem !

43. Tive uma festa de aniversário à distância. Aconteceram umas coisas meio desagradáveis aqui no meu apartamento na época do meu aniversário, então não deu para comemorar meus 35 anos aqui. Em compensação, no Brasil, meus pais reuniram a família toda e fizeram mó festão lá em casa com tios, primos, avós, gato e cachorro. Me ligaram no skype e a gente ficou um tempão se falando. Eu amei. Foi a melhor coisa !!!

44. Meu aniversário foi na rua. Por outro lado, comemorei meu aniversário na rua, no meio do festival de Avignon que tem festa todo dia. Entre amigos, vizinhos e desconhecidos, a gente dançou, bebeu e riu muito na beirada do riacho. O tipo da coisa que vai passar no meu filminho de vida naqueles segundos antes de morrer. Dizem.

Nossoaniverua

45. Conheci um grupo de caminhadas ecológicas em BH. Nunca tinha feito e descobri esse grupo maravilhoso que sobe e desce morros e cachoeiras pela região. A maior surpresa é que quem me convidou foram dois ex alunos de quando eu dava aula de educação artística numa escola, há mais de 10 anos. Obrigada, gente !

CaminhadaEcologica

46. Passei a falar mais quando não gosto de alguma coisa. Este ano eu fiquei mais brava, sabe. É um exercício de dosagem e timing. Mas a Didi boba tá saindo do meu corpo e vai ficar só mesmo a boa (nesse sentido que você pensou também!).

47. Consegui fazer slackline por mais de, sei lá, 5 segundos ! É !

48. Conheci o vulcão Vesúvio. Aquele mesmo que destruiu Pompeia. Fui lá na boca dele. Dizem que de dois em dois mil anos ele fica furiosão. E sabe quando foi a última vez que ele ficou muito bravo? Há dois mil anos. Viva Itália !

Vesuvio

49. No fim do ano, participei de um concurso de sweater feio. Na verdade, era um concurso de roupa diferente, não necessariamente feios, coitados. O que é o belo, não é mesmo, Gracyane Barbosa? Eu tenho um sweater muito antigo, herdado da minha mãe, que sempre que uso as crianças me cumprimentam na rua. Acontece que embora meus amigos tenham se esforçado em votar em mim, um outro cara venceu o concurso. Fiquei meio frustrada, mas o importante é participar.

  1. E por fim, o que vamos fazer hoje é um nunca para mim: um reveillon appartathon. Uma maratona de apartamentos entre amigos e vizinhos. Começa aqui e em casa, com música e degustação sensorial (atividade recreativa de comer de olhos vendados para quem quiser participar). Depois vamos migrando para outros apartamentos de amigos que tenham outras atividades como caça ao tesouro, espaço latino, speed dating e sempre música ! Amei essa ideia dos meus vizinhos. Amo que temos essa relação. E te digo para tentar também com os seus.

Um abraço, obrigada pela companhia e feliz ano novo !!!

 

Projetos iniciados este ano:

Bom dia de tia: página do facebook que fala da história dos dias com humor e imagens enviadas por tias!

Lawsumerism: como dito no texto, página de facebook e insta dedicados ao consumo consciente

Outros projetos virtuais já existentes que continuam:

Vista da Cidade, Direito é Legal, Brunch das Meninas, Découvrons Avignon (este último em francês). Todos com páginas no facebook e alguns com mais que isso. Não vai dar tempo de linkar tudo porque tenho que ir cozinhar pra esta noite! Beijo

Sobre Didi

Brasileira, mineira, advogada, professora e ex-professora. Comunicóloga nas horas vagas. direitoelegal@gmail.com

Uma resposta »

  1. AHHHHH vc foi em belém, volte logo quando puder…. minha amada terra douradaaaa…

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: